Dieta Sensorial

Saiba mais sobre Dieta sensorial e a sua importância 

Muitas vezes, quando mencionamos o termo “dieta sensorial”, as pessoas relacionam com comida ou uma alimentação mais saudável. Uma dieta sensorial não tem nada a ver com comida ou restrição alimentar, nem com comer de forma mais saudável!

Uma dieta sensorial é um conjunto de atividades que compõem uma estratégia sensorial, sendo apropriadas para as necessidades de um indivíduo. Estas atividades são específicas e individualizadas, programadas para o dia a dia da criança e são usadas para auxiliar na regulação dos níveis de atividade, atenção e respostas adaptativas.

As atividades da dieta sensorial são prescritas com base nas necessidades sensoriais específicas da criança. Assim como não existem duas pessoas iguais, não há duas dietas sensoriais semelhantes. Estas atividades fornecem informações sensoriais apropriadas com base nas necessidades de cada criança. Assim como uma dieta saudável consiste em uma variedade de alimentos, uma dieta sensorial engloba um conjunto de brincadeiras e atividades lúdicas, planejadas e recomendadas pelo terapeuta, contemplando os estímulos sensoriais adequados ao perfil sensorial da criança. A dieta pode combinar atividades para aumentar ou reduzir o alerta, variando de acordo com a necessidade de cada criança.

Dessa forma, entende-se que uma dieta sensorial consiste num conjunto equilibrado de informações sensoriais que permite que um indivíduo funcione no meio em que está inserido. Uma pessoa não pode sobreviver apenas com brócolis. Da mesma forma, uma criança não pode funcionar com apenas um tipo de atividade sensorial. O objetivo principal da dieta sensorial é fornecer um estímulo constante e presente na vida da criança, sendo capaz de atuar no sistema nervoso e mantê-la mais organizada.

Dietas sensoriais não servem apenas para crianças com problemas sensoriais identificados. Todos nós precisamos de uma dieta com entrada sensorial. A maioria das pessoas participa naturalmente de atos conscientes ou subconscientes que satisfazem suas necessidades específicas.

  • Pense no aluno que bate a caneta na mesa enquanto faz uma prova. Essa é uma estratégia sensorial.
  • Você pode andar de um lado para o outro enquanto está no telefone. Essa é uma estratégia sensorial.
  • Você pode ver uma pessoa que balança a perna enquanto assiste a um filme. Essa é uma estratégia sensorial.
  • Todos nós damos um grande bocejo de vez em quando. Essa é uma estratégia sensorial.

Nossos corpos e mentes sabem, por instinto, que a variedade de entrada sensorial nos permite funcionar apropriadamente. As crianças com desenvolvimento neuro típico procuram naturalmente uma variedade de estímulos sensoriais proprioceptivos, vestibulares e táteis. Como resultado, elas são capazes de aceitar e regular outras informações sensoriais. Entretanto, algumas crianças carecem de habilidade ou apoio para realizar essas estratégias sensoriais sem intervenções.

Uma dieta sensorial precisa ser específica, considerando cuidadosamente o tempo, a frequência, a intensidade e a duração da entrada sensorial. Dietas sensoriais devem ser elaboradas por um Terapeuta Ocupacional, que avalia a criança e garante a transferência e a resposta à entrada sensorial.

0 comentátios

Deixe um comentário!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *