Kinesiotape

kinesiotape

O método Kinesio Taping foi criado no Japão em meados dos anos 70 pelo Dr. Kenzo Kase.

Kase queria que seus pacientes mantivessem em casa o ganho conquistado durante a terapia, como se levassem para casa suas mãos; proporcionando ao paciente um recurso terapêutico que pudesse auxiliar a musculatura e os demais tecidos à buscarem a homeostase durante o intervalo das terapias.

Esta técnica tomou visibilidade no Mundo durante as Olimpíadas de Seul em 88 quando diversos atletas apareceram com as “fitas coloridas”. Mas nos EUA isso ocorreu apenas em 1995 e na Europa em 1996.

Com o uso das bandagens elásticas nas Olimpíadas de Athenas, Pequim e Londres, o interesse científico por este recurso terapêutico cresceu e hoje tal recurso está presente em centros de treinamento e clínicas de reabilitação (Kase K., Lemos, T, e Dias E., 2013).

O Kinesio Taping pode agir na musculatura, nas articulações, circulação linfática, fáscias, derme, tendões e ligamentos, portanto, se faz necessário, além de conhecimento musculoesquelético, o conhecimento de anatomia palpatória, testes de função, força muscular, amplitude de movimento e disfunções do movimento.

Como toda técnica, há contraindicações e precauções, não podendo fazer uso do tape pacientes com tumores malignos ativos, sobre celulites, infecções de pele, feridas abertas, trombose venosa profunda ativa e alergias à kinesio tex tape. Precauções devem ser tomadas em pacientes com: diabetes, doenças renais, sensibilidade dérmica já apresentada pelo uso de outras bandagens, insuficiência cardíaca congestiva e pele frágil ou em processo de cicatrização.

Os principais objetivos da kinesio taping são:

  • Aliviar a dor e as sensações anormais da pele e músculos;
  • Proporcionar maior equilíbrio e suporte aos músculos durante os movimentos;
  • Remover edemas linfáticos e sanguíneos;
  • Corrigir os desalinhamentos articulares e biomecânicos;
  • Criar mais espaços nos níveis epidérmicos, dérmicos e hipodérmicos

Para alcançar os objetivos acima citados podemos utilizar 6 modalidades de aplicação:

  • Correção mecânica;
  • Correção fascial;
  • Correção espacial;
  • Correção ligamentar e tendínea;
  • Correção funcional
  • Correção Linfática

Uso do Kinesio Tape na Fonoaudiologia

O uso da bandagem elástica na fonoaudiologia é novo e ainda pouco explorado. Porém, poucas pesquisas já apontam sua eficácia em terapias de alterações temporomandibulares (ATM), paralisia facial, apraxias, assimetrias faciais, hipotonia dos músculos da face, além de auxílio na reeducação da respiração. Dentre todos os seus benefícios, podemos observar, também, a diminuição da sialorreia (baba) e aumento do controle de deglutição de saliva, melhora na mobilidade da língua durante a função de mastigação e fala, melhora na permanência do selamento labial (boca fechada) facilitando a respiração nasal e garantindo alongamento dos músculos labiais, facilitação na retração da língua nos casos de protrusão exagerada e tratamento das disfunções da ATM, principalmente nos casos de dor.